Revoltados com a quantidade de trabalho pesado e com as mortes que aconteciam na Granja do Solar, os bichos resolveram fazer um protesto e se uniram para expulsar o dono da fazenda. Foi no interior da Inglaterra que, pela primeira vez, os animais trabalhavam para si mesmos com o esforço do seu próprio suor em prol da igualdade de direitos entre os bichos. Não haveria mais quem mandasse neles ou quem tirasse o leite da vaca para alimentar os humanos, ou quem matasse os porcos para servir no jantar da "casa grande", ou quem coletasse os ovos das galinhas para fritar em uma panela. Os bichos agora eram independentes e tinham como líder do novo "governo", os porcos, que eram os animais mais inteligentes da fazenda.

Infelizmente, a felicidade dos bichos não durou muito tempo. O motivo? Napoleão, o porco que se tornou o principal líder dos animais da Granja dos Bichos (novo nome da fazenda após a saída dos humanos) começou a se tornar um tirano que mandava nos animais e enchiam as cabeças dos menos inteligentes, e dos medrosos, com mentiras dissimuladas a respeito da nova sociedade e do seu governo. Encobrindo as falcatruas e os mandamentos antes postos pelo seu antecessor, o porco Bola-de-neve, Napoleão distorceu todo o sistema e acabou transformando o socialismo em tirania.  


Para qualquer um quer ler a obra de George Orwell sem ter um certo conhecimento (ou pelo menos já ter ouvido falar) da época em que foi publicado e a quem (e o que) a sátira A Revolução dos Bichos se referia, vai afirmar que o volume é nada menos que inofensivo. Publicado originalmente em 1945, quando a Segunda Guerra ainda estava em andamento, o livro causou burburinho e até hoje é proibido em alguns países.

O problema todo girava em torno da sátira que o autor escreveu sobre o falso socialismo da União Soviética, que tinha como líder naquela época, o Josef Stálin, um tirano, que tratava com crueldade quem fosse oposto ao governo dele. O motivo pelo qual o livro demorou a ser publicado (e foi negado por várias editoras antes de sair oficialmente) era que os editores perceberam que um inglês estava comparando Stálin a um porco cruel e tirano, neste caso, o personagem Napoleão. E isso poderia gerar conflitos graves com a União Soviética.

Mas aí você me pergunta: "certo, mas o que tem a ver a União Soviética com a Inglaterra?" Lembra que o livro foi publicado em 1945? Pois então, nessa época, o lado dos Aliados na Segunda Guerra eram compostos pelas principais potências do Império Britânico, os Estados Unidos e a União Soviética. Ou seja, dois países capitalistas e um socialista. E Orwell, como sendo um inglês que apoiava a classe trabalhadora (ele se definia como socialista) e era revoltado com a distorção do socialismo imposto por Stálin, resolveu demonstrar a sua indignação escrevendo A Revolução dos Bichos. Uma obra que deveria ser leitura obrigatória nos colégios. Faria a gente entender muito melhor o que se passava naquela época e o que significava os respectivos movimentos. 

 

Um Comentário

  1. Oi Karol,

    Eu tenho esse livro, mas ainda não li. Já vi várias recomendações, preciso ler, fiquei bem curiosa. Adorei a resenha, eu sabia a data que ele foi escrito, mas não sabia dessa relação com à União Soviética, muito interessante.

    Bjs!
    CarinaPilar.com | ...e a paixão pelos livros!

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua opinião!
Com ela posso melhorar o BHCB para VOCÊ! (: